TROCANDO IDEIAS

A galera adorou a experiência, usamos máscara e luvas.

A descoberta do uso da tinta spray acabou com o estoque, mas valeu o trabalho, a exploração, a experimentação.

Agora só falta mais tinta pra terminar o trabalho!

Festa da Família

Os ensaios do Canto e Coral contaram com o empenho dos monitores Talmer, Natalino, Sirlene, Sandra e Lara.
O monitor Talmer iniciou as aulas de violão, pandeiro e flauta…

Teve até uma pequena demonstração com a estudante Rebecca que mostrou como está caminhando na aprendizagem da 9ª Sinfonia de Bethoven…
O estudante Bruno toca a música Noite Feliz e os estudantes Tiago, Cássio e alguns outros deram um show na demonstração de pandeiro…

O coral emocionou e relembrou os tempos passados com as músicas Pais e Filhos e Mais uma vez do Legião Urbana, também encantou com a linda música Felicidade do Marcelo Jeneci!

Foi tanto trabalho! Tricotamos, “crochetamos”, recortamos, pintamos, colamos, montamos… As crianças aprenderam “decoupagem”, como criar desenhos, como fazer as molduras com tecido, barbante, viés, papel…

Os trabalhos ficaram lindos!!!

Imaculada (auxiliar de biblioteca e super instrutora de arte com biscuit) ensinou a turma a fazer peças de biscuit: ímãs de geladeira e vidros.

Auxiliadora (auxiliar e super professora de artesanato) ensinou a garotada a fazer cabides decorados, lindos, que venderemos na próxima feira! Ela também “é fera” no tricô e crochê, ensinou para alguns que começaram a ensinar os demais…

Rita (auxiliar e incansável amiga do Mais Educação) dedicou-se, incansavelmente, aos arremates dos quadros porta-chaves (que as crianças participaram de várias etapas) e sem ela não teríamos conseguido resultados tão lindos…

Magdalena (professora e sempre, querida amiga da escola) trouxe as madeiras recortadas e junto com elas, sua confiança, seu carinho, seu amor…

Irene (mãe do Alan) trouxe quilos de viés de malha e foi assim que pudemos fazer tapetes de todos tamanhos e cores…

Wagna (Mãe da Lara e da Luiza) trouxe retalhos e vidros…

Sirlene (monitora) trouxe quilos de retalhos…

Nosso grupo agradece o empenho de todos os nossos colaboradores e pede perdão aos que não tiveram seus nomes citados.

Graças a Deus são tantos amigos e colaboradores!
E nossa caminhada continua… Mais quadros, mais tricô, mais biscuit, mais cabides, mais música, mais futebol, mais horta, mais letramento, mais dança, mais artes!

COLABORADORA SONIA E DUAS MÃES DE ESTUDANTES NA OFICINA DE PINTURA EM TECIDO NA ESCOLA MUNICIPAL SONIA BRAGA DA CRUZ RIBEIO SILVA.

 

A OFICINA ACONTECEU MAIS VEZES A PEDIDO DE OUTRAS MÃES…

A Banda Pato Fu é MINEIRA, uai!

A escolha do álbum Música de Brinquedo da Banda Pato Fu foi motivada pela variedade de estilos musicais, bem como as épocas em que as músicas foram expostas inicialmente e, claro, o fato de ser, a banda, nossa conterrânea.

Para iniciarmos o trabalho escrito é fundamental que as crianças conheçam e acessem material sobre a banda que inspira nossas atividades e para isso consultamos o site da própria:

Aproveitamos a tradução da música My Girl e criamos mais uma atividade para a oficina de letramento, buscando informações no texto capazes de colaborar para a compreensão e aplicação da leitura e escrita em diversas situações da vida.

Atividade com a segunda música do trabalho MÚSICA DE BRINQUEDO.

Que a PRIMAVERA continue nos encantando e que a beleza das flores inspire nossos pensamentos…

O trabalho iniciado, na oficina de Canto e Coral, com o álbum Música de Brinquedo da Banda Pato Fu, cria asas, abre caminhos, toma novas formas…

Com a ajuda da monitora Sandra, começamos a organizar as atividades relacionadas às músicas, com atividades adequadas para as crianças menores e para as maiores(pré-adolescentes).

Veja o resultado!

São tantas atividades, metas e ações, que não sobra tempo para registrar tudo como gostaria! Mas nunca é tarde para fazê-lo…

 

O planejamento de atividades da oficina de Canto e Coral, publicado anteriormente, está acontecendo diariamente, todos os monitores estão envolvidos e aproveitamos o intervalo do almoço para ensaiar mais, além dos dias e horários específicos para tal.

 

A pedagoga Rouse, do 1º turno, convidou nosso grupo para apresentar uma das músicas de trabalho no Dia Internacional da Mulher, escolhemos “My Girl” (interpretada pela Banda Pato Fu no álbum Música de Brinquedo) e os ensaios foram intensificados, esperamos alcançar um nível satisfatório para apresentação.

 

Todos os monitores receberam uma cópia do planejamento, bem como as letras das músicas e uma cópia do cd de trabalho.

 

A pedagoga Rouse, que trabalha na escola vizinha à nossa, porém pertencente à cidade de Belo Horizonte, ajudou-nos com o contato com o mesmo trabalho de lá, marcamos um encontro, onde, eu, os monitores Natalino e Lara,. combinamos, com a coordenadora Vilma e os monitores Adriana e Ivan, o uso das quadras e espaços da praça que há no bairro de ambas escolas. Neste mesmo dia, visitamos a praça e conferimos as condições de uso das mesmas, também visitamos a unidade do CRAS, logo em frente, para pedir permissão, para que as crianças possam encher as garrafinhas de água ou usar os banheiros.

 

As monitoras, Sandra (Letramento) e Lara (Horta) ajudaram-me com registros sobre as atividades realizadas e as que pretendem realizar para construirmos os planejamentos específicos. A oficina de Letramento tomará as músicas, autores, compositores e intérprete do planejamento de Canto e Coral (monitora Sirlene), para direcionar e inter-relacionar os trabalhos.

 

A monitora de Dança, Jennifer, se despediu de nosso grupo na última semana e recebemos a nossa nova voluntária Camila, que já tem alguma experiência, tendo participado de grupos de dança anteriormente.

Clique aqui para baixar!

Começando o trabalho…

O Programa Mais Educação faz parte das atividades da Escola Municipal Sonia Braga da Cruz Ribeiro Silva desde 2010, coordenado pela professora e amiga Roseli, que neste ano, confiou-me, junto com a direção, este desafio.

É possível atender 150 estudantes em cinco oficinas: letramento, dança, canto e coral, horta e futebol, nos espaços internos e externos da escola.

Nas duas primeiras semanas, nesta nova função, dediquei-me à compreensão da dinâmica do funcionamento, na organização e preparação de aspectos, ações e posturas necessárias ao funcionamento das atividades:

  •   horários dos monitores;
  •   troca de idéias com os monitores;
  •   registro das sugestões e observações de todos que manifestaram;
  •   construção, pelas crianças, das normas que orientam nossas ações;
  •   quantidades de crianças nos grupos;
  •   participação dos grupos em todas as oficinas;
  •   duração de cada módulo/oficina;
  •   preparação para o almoço;
  •   higienização bucal;
  •   decoração do espaço da sala;
  •   confecção (por nós mesmos) dos aventais de trabalho para as crianças;
  •   pedido de móveis necessários ao desenvolvimento das atividades;
  •   listagem para compra de materiais para as oficinas;
  •   sugestões para o trabalho em cada oficina, pelos monitores e por mim;
  •   elaboração de fichas para acompanhamento da freqüência e informativos sobre adequação do comportamento nas atividades;
  •   murais informativos com a organização dos grupos e os horários das oficinas;
  •   atendimentos às crianças e famílias que desejam participar do Programa.

Muitas ações foram reorganizadas nestes primeiros dias, como divisão dos grupos e as atividades realizadas. Uma destas mudanças se destacou pelo excelente resultado obtido, sugerida pelo monitor Natalino e imediatamente testada, separamos os meninos das meninas, para melhorar o trabalho da oficina de futebol e respeitar as diferenças físicas e comportamentais; ficamos muito felizes com a participação das crianças, que foi surpreendentemente melhor. Tentamos a mesma divisão nos horários que não havia oficina de futebol e a produtividade foi tão boa quanto. Os momentos de convívio, rodas de bate-papo, brincadeiras com a participação de todos juntos continuarão: chegada, preparação para o almoço, intervalo de 12:00 às 13:00 horas e despedida.

Na oficina de Letramento, que conta com a monitora Sandra, iniciou-se o trabalho complementando a construção das normas, pelas crianças menores e maiores, através de atividades que envolviam listar atitudes positivas e termo de compromisso com o comportamento adequado.

A monitora Lara, responsável pela oficina Horta, já iniciou a plantação de um pequeno canteiro, enquanto aguardamos a compra dos materiais solicitados e a preparação do espaço. Ela conversa com as crianças sobre as vitaminas dos alimentos, leva-os para os cuidados com o canteiro, confeccionou os aventais específicos para sua oficina, promovendo um maior envolvimento.

As monitoras de dança e canto e coral apresentaram uma proposta de trabalho complementar entre as oficinas, porém percebemos mudanças significativas no grupo atendido e ainda buscamos um formato capaz de atender tal proposta. A monitora Jennifer está deixando a equipe por causa de uma ótima oportunidade de estudo.

Sirlene, a monitora de Canto e Coral, aceitou a proposta de trabalharmos com o álbum da banda Pato Fu, “Música de Brinquedo”, selecionado por causa da variedade de estilos musicais, de épocas também diferentes, assim pretendemos proporcionar às crianças a oportunidade de conhecer diferentes linguagens, mensagens e possibilidades. Aqui nasce nosso primeiro projeto!

Tonia Kelley Souza Botas

Fevereiro / 2012

Acesso aos  instrumentos que colaboram para a organização:

COMUNICADOS ÀS FAMÍLIAS

HORÁRIOS DAS OFICINAS

GRUPOS DE TRABALHO NAS OFICINAS

Nos links acima é possível acessar os documentos completos!

Pensamentos de final de férias

Energias renovadas, idéias, sonhos, esperanças, crença…

Ser professora é acreditar na educação, na transformação, na humanidade e esperar que suas ações contribuam de forma positiva na formação das pessoas, pequenas ou não, que te encontram nos espaços da escola.

Isto é se entregar ao papel que se escolhe desempenhar, tentar colaborar e, principalmente, aprender e melhorar sua presença e influência no ambiente todo o tempo.

Acredito que, além dos conhecimentos acadêmicos, os professores devem ajudar as pessoas a compreenderem sua participação na comunidade, na sociedade, nosso país precisa avançar e muito a consciência social, todos existimos, fazemos parte, integramos, nossas ações são importantes e por isso é desejável que sejam positivas.

Tonia Kelley Souza Botas

http://www.webartigos.com/artigos/pensamentos-de-final-de-ferias/83365/

No primeiro dia contamos com a presença de todos os monitores: Jennifer, Lara, Natalino, Sandra e Sirlene. Vieram poucas crianças, mas nosso dia foi interessante com muitas brincadeiras, desenhos para colorir, almoço, conversa na roda para definir regras, recreação, futebol, brinquedos.

Roda da conversa / questões levantadas / idéias e sugestões:

 

  • Por que você se inscreveu no projeto?
  • Você gosta das atividades?
  • O que você mudaria?
  • Quais regras você considera importantes para nossa boa convivência?
Hoje contamos com mais crianças e com a colaboração dos monitores Jennifer, Natalino e Sirlene; tivemos mais roda da conversa, brinquedos, brincadeiras, desenhos para colorir, preparação para o almoço, oração, almoço, escovação, mais roda da conversa, recreação, organização da sala, decoração, futebol, realização do Para Casa, saída.

 

 

Arquivei as fotos da turminha durante os três anos do 1° ciclo e fiz um filme simples, mas com todo o meu carinho, com todos que conviveram com este grupo.

Se quiser nos conhecer, acesse o filme aqui!

TRABALHO SOBRE CÂNDIDO PORTINARI, EM 2009.

TRABALHOS SOBRE ROMERO BRITTO, EM 2011.

“CONHECENDO O VINÍCIUS”

TRABALHOS SOBRE VINÍCIUS DE MORAES, EM 2011.

EU, A INTEGRANTE ADULTA DESTE GRUPO, AGRADEÇO A TODOS QUE ENRIQUECERAM NOSSAS EXPERIÊNCIAS COM SUA COLABORAÇÃO, PARTICIPAÇÃO OU, SIMPLESMENTE,  SUA PRESENÇA.

AGRADEÇO ÀS CRIANÇAS PELA OPORTUNIDADE DE CONHECÊ-LAS, AJUDÁ-LAS A APRENDER E, PRINCIPALMENTE, POR TER APRENDIDO MUITO COM ELAS!

Felizes na escola 

por Helena Trevisan


Nossa filha mais velha já morava em Barcelona há um ano quando fomos visitá-la com seus dois irmãos. Na ocasião, o caçula tinha seis anos de idade e ainda não estava alfabetizado. Esse detalhe é muito importante para o que eu vou contar em seguida, pois se tornou o motivo pelo qual acabei escrevendo um livro tempos depois. Aconteceu que em Barcelona fomos visitar a Casa Juan Miró, um acervo das obras do grande pintor catalão. Uma das salas do museu intitulava-se Constelación. Ali, nos sentamos diante de uma tela por alguns instantes. E então, meio provocativa, perguntei ao pequeno: Victor, o que você está vendo? Uma constelação , respondeu ele, candidamente, para o meu mais total espanto.
Se tivessem feito essa pergunta a mim, com toda a minha capacidade intelectual devidamente amadurecida, essa resposta seria mais do que esperada. Além do fato, é claro, de eu ter lido a palavra constelación escrita no pórtico de entrada da sala. Mas, em se tratando de uma criança não alfabetizada, o que isso revelaria? Anos depois, a lembrança desse fato me trouxe uma súbita clareza no entendimento do que preconiza a pedagogia Waldorf,metodologia empregada na escola em que o Victor estuda até hoje. Criada em plena desolação do pós-guerra, em 1919, em Stuttgard, Alemanha, por um visionário chamado Rudof Steiner, a pedagogia foi aplicada pela primeira vez numa escola fundada para os filhos dos empregados da fábrica de cigarros Waldorf-Astória, daí o seu nome. A pedagogia leva em conta temas tão atuais, como preservação do meio ambiente, justiça social, formação ética, inteligência emocional, que é fácil esquecer que ela já tem quase um século de existência.
Na prática, ela prega que a transmissão do conhecimento deve acompanhar numa obediência rigorosa e solene, o desenvolvimento do aluno. Isso quer dizer que se deve respeitar o momento certo para se ensinar determinado conteúdo, e esse momento é quando o aluno experimenta no seu íntimo uma experiência semelhante. A prova do vestibular que assombra nossos jovens cada vez mais precocemente, cai como uma bomba em plena flor da idade, aquela etapa da vida em que tudo é só promessa, e quase nada realização, pois estamos tratando de futuro. São raros os casos em que, aos 17 ou 18 anos, umacriatura possa garantir que a carreira escolhida será de fato aquela para todo o sempre, pelo simples motivo de que não houve ainda existência suficiente para tamanha certeza. Podemos dizer que uma escola Waldorf não prepara os jovens para o vestibular. Prepara para a vida, da qual o vestibular é apenas uma parte e um treino, basta se dedicar a esse fim específico e tudo se resolverá, com maior ou menor brilho.
Quando nosso filho foi capaz de captar o que Miró expressou em pinceladas, compreendi que, mesmo sem conhecer letras, sem saber fazer contas, ele entendeu. E seu entendimento foi muito mais espontâneo e verdadeiro do que o meu, sua mãe letrada e com diploma universitário. A pedagogia Waldorf se propõe a formar homens livres. Isso dá sem subterfúgios ao se expressar pela arte, através das emoções. O que se aprende com a alma, jamais sai da cabeça e se manifesta nos gestos naturalmente. Se todas as metodologias de ensino se propusessem a ouvir o que os alunos dizem sem palavras, haveria mais estudantes felizes nas escolas.

Democracia na escola soa como utopia, algo inalcançável, sonhos distantes, fora da realidade… Quanto mais conheço as experiências desta linha de trabalho e pensamento, mais compreendo e percebo que conseguir agir assim não é nada impossível.

Escuto muitos colegas angustiados com os resultados alcançados, existem até aqueles que procuram os culpados para as insatisfações. A mudança é, sim, possível e profunda e a “tal culpa” não pertence a este ou aquele, é preciso fugir do fatalismo: sempre foi assim, esta criança tem isto ou aquilo, esta comunidade conta com estas características; não que estes apontamentos não sejam importantes, mas é o momento de reconstruir uma realidade diferente, pensar em ações maiores, enxergar a situação como se estivesse de fora e provocar movimentos amplos, que consequentemente influenciaram e transformaram os apontamentos tão importantes de quem vê de dentro.

Por mais conscientes, politizados, éticos, profissionais, competentes que sejamos, nós os educadores, professores, formadores ainda reproduzimos um modelo educacional antigo, que preza uma convivência hierárquica até onde não precisa, por isso nos chocamos violentamente com uma sociedade que mudou, evoluiu, construiu valores diferentes de anos atrás e que devemos conhecer, entrosar, participar, respeitar, é claro, sem abandonar princípios que respeitam e confirmam nossa condição de seres humanos.

Pra quê ditar regras, definir ações, trazer para sala de aula planos, trabalhos e outras exigências que as crianças não participaram da construção, não deram idéias, ou pelo menos conheceram a proposta? Democratização é um processo que se dá pela participação, uma comunidade somente se comportará de forma democrática se aprender através da prática, democracia não deve ser apenas uma teoria que se tem distante noção do que seja, mas deve ser algo próximo, entranhado, real, palpável, vivido constantemente…

Tonia Kelley de Souza Botas

AVALIAÇÃO ORGANIZADA A PARTIR DE MATERIAL

SELECIONADO DA INTERNET.

ACESSE A AVALIAÇÃO COMPLETA DE LÍNGUA PORTUGUESA AQUI!

ACESSE A AVALIAÇÃO COMPLETA DE MATEMÁTICA AQUI!

Recortes de avaliações de outras professoras, selecionadas as questões referentes a alguns temas trabalhados neste trimestre.

ACESSE A AVALIAÇÃO COMPLETA AQUI!

Fantástico! Já li muitas vezes e sempre consigo pensar em aspectos e situações que preciso mudar, melhorar, fazer diferente.

 

 

 

 

 

 

 

 

O planejamento de aulas deve ter como ponto de partida as ideias, desejos e necessidades de aprendizagens apontadas pelas crianças, o que não significa limitar-se a apenas isto. Num segundo momento apresenta-se à garotada os conteúdos, ou temas de cada área, apontados para determinado período e planeja-se junto com elas. Esta prática melhora a participação nas aulas, pois desta forma institui-se a co-responsabilidade, as crianças pensam sobre o que querem e o que precisam aprender, o que influenciará sua posição diante das atividades propostas, o sentimento de pertencer ao trabalho e não ser um simples foco, alvo, ou público.

Planejamento deve ser ação coletiva, não só com os estudantes, mas, também com os colegas, com toda a comunidade escolar.
Ao analisar as avaliações, você confirma suas hipóteses com os estudantes? Certamente não é possível fazer isto todo o tempo, mas selecionar alguns registros para esta análise permitirá compreender como a turma está apreendendo o que é trabalhado, como consequência avaliar-se e buscar cada vez mais melhorar a própria prática. Conhecer como os estudantes pensam e como compreendem as propostas é só mais um aspecto do planejamento coletivo.
Saber muito e saber ensinar nem sempre compoem uma mesma sabedoria…

Sexta-feira

 

Matemática

  • Adições, subtrações, multiplicações e divisões, sequenciadas em graduação de dificuldade, com o objetivo de colaborar com a compreensão de vários aspectos presentes em tais situações;
  • Exemplo: Adições de dezenas, iniciando com quatro delas sem reserva, depois mais quatro cujas somas das unidades sejam sempre 10, depois mais quatro cujas somas das unidades superam uma dezena e por último, a soma, tanto das dezenas quanto das unidades superam uma dezena (assim foi feito com as demais operações);
  • Este trabalho durou 2 horários, para correção individual pela professora, correção individual pela própria criança e esclarecimento de dúvidas, correção coletiva no quadro junto com todos.
  • O processo foi desenvolvido com bastante interesse e envolvimento, pois aconteceu uma competição sadia, por acertar muitas e ter isto registrado no caderno.

 

Avaliação de Ensino Religioso a pedido da professora Idelze

 

Ciências

  • Relembrando: Estados Físicos da Água.

 

Quinta-feira


História

  • Máscaras africanas / criatividade, cada criança criou sua própria máscara, pedi que usassem cores fortes e alegres, que se inspirassem no trabalho anterior sobre Romero Britto (2010);

 

 

 

 

Português

  • Avaliação através de produção de texto, tema ” Meu animal de
    estimação”, a criança que não tem animal de estimação deveria falar daquele que gostaria de ter ou que gosta muito;
  • Atividade sobre pontuação e estrutura textual (material preparado pela professora Magdalena Pugliese).

 

Arte com a professora Virgínia

 

Matemática

  • Cálculos de multiplicação e divisão através de algoritmos, a problematização de cada situação foi feita oralmente, com a participação constante das crianças para criar histórias adequadas à operação.

Quarta-feira

 

Matemática

  • Problemas  “O museu de Veterinária” (BLOG DA PROFESSORA JANAÍNA SPOLIDÓRIO);
  • Registro no quadro de algoritmos da multiplicação e da divisão, para compreensão do processo de cálculo.

 

Ciências

  • Animais Domésticos, as crianças ficaram curiosas com os nomes de alguns animais domésticos, incomuns em sua realidade, o que levantou questionamentos interessantes sobre os cuidados com alimentação e outros mais.

 

Português

  • Tirinha do Cebolinha (Turma da Mônica) para interpretação;
  • Explorar a tirinha possibilitou o gancho com a área de História e Convivência;
  • Discussão realizada: TRABALHOS DOMÉSTICOS / QUEM FAZ EM SUA CASA? QUEM DEVE FAZER? QUEM NÃO DEVE FAZER?

 

Terca-feira

 

Matemática do terror

(BLOG DA PROFESSORA JANAÍNA SPOLIDÓRIO)

  • Divisão, adição e análise de informação;
  • Problemas com Frank Oswaldo Júnior, Armandinho Caveira e Lindomárcio.

 

Português

(material selecionado e preparado pela professora Magdalena Pugliese)

  • Acentuação;
  • Pontuação;
  • Estrutura textual

 

Projeto “Conhecendo o Vinícius”

  • Filme Rio / escolhido pelas crianças por causa da música Garota de Ipanema.

Produção de texto “Continuando a História”

ATIVIDADE DE PORTUGUêS JOANINHA E TATUZINHO PRODUÇÃO DE TEXTO

 

 

 

Matemática – Projeto “Conhecendo o Vinícius”

  • Compreensão do texto de Ciências através das comparações entre as informações numéricas apresentadas sobre altura, tempo de vida, quantidade de ovos a cada postura, tempo entre nascimento e primeiro voo.

 

Português

 

 

 

Projeto “Conhecendo o Vinícius”

  • Ensaio da coreografia ” Garota de Ipanema”
  • Confecçaõ do material para os murais e painéis.

Trabalho desenvolvido pela professora Virgínia, de  Artes, para conhecer a influência africana nas obras de artistas mundialmente conhecidos e reconhecidos, como Van Gogh entre outros.

Olha que mimo! Enviado pela mãe da Sarah:

Bom dia;
Conforme prometido segue as fotos do eventos das Garotas de Ipanema.
Aproveitando a oportunidade, agradeço pelo carinho dedicado a minha filha Sarah Emanuely.
Atenciosamente
Aline Barroso

Resposta:

Que fofo!

Obrigada pelas fotos e saiba como sou feliz por ter a oportunidade de conviver com a Sarah e toda a turminha!

Beijo

Professora Kelley

Exposição do trabalho desenvolvido na Feira de Cultura

dia 26 de novembro de 2011

 Nossa turma

Cartaz na porta durante as semanas que antecederam a Feira de Cultura

Convite:

Informação da duração do projeto, lembrando que as crianças planejaram todo o desenvolvimento junto com a professora.

 Nomes das crianças

Resumo da biografia, texto construído coletivamente.

Ilustrações na folha A3 que as crianças coloriram.

Informação junto ao painel externo, que as crianças consideraram extremamente importante.

 

 Outra informação que destacaram a importância, pois no início do trabalho o único nome que alguns já tinham ouvido falar era o de Chico Buarque.

Poesias do livro A arca de Noé, selecionadas pelas crianças e

colocadas no mural.

Houve, em alguns momentos, curiosidade sobre as poesias para adultos, principalmente, após pesquisa sobre o  significado da palavra “soneto”.

Selecionei alguns sonetos, imprimi na folha A3,  fizemos a leitura e construímos o mural. O Soneto da Hora Final foi o mais comentado, uma das meninas disse que o texto é “meio gótico”, o que despertou outras curiosidades…

Outra informação selecionada pelas crianças, pois ficaram interessadas em saber onde ficam as cidades onde morou Vinícius e o que faz um diplomata.

 Feira de Cultura

 Apresentação de dança com a música:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

             Escola Municipal Sonia Braga da Cruz Ribeiro Silva

                   Para Casa Semanal

TODAS AS ATIVIDADES DEVEM SER COPIADAS NO CADERNO:
Nome:

Data

Dia da Semana

Atividade

21 / 11

Segunda

(para entregar na terça)

Copie no caderno e resolva:

 

1 ) Lúcia ganhou um pacote com 24 bombons e compartilhou com suas colegas. Elas são 6 garotas. Quantos bombons cada uma saboreou?

2 ) Marcos organiza suas cartinhas em caixinhas. Em cada uma cabem 15 cartas. Ele tem 3 caixinhas completas e 1 com 10. Quantas cartinhas Marcos tem ao todo?
22 / 11

Terça

(para entregar na quarta)

“A HISTÓRIA POR TRÁS DA HISTÓRIA”: Escreva suas ideias sobre os motivos que levaram o escritor Vinícius de Moraes a escrever o poema “O gato”. Não esqueça do parágrafo, pontuação e organização:
23’/11

Quarta

(para entregar na quinta)

Copie no caderno e calcule, se precisar desenhe para compreender melhor a operação:

5×3=           5×7=        5×9=          3×7=        3×6=                          3×10=

30:3=         21:3=      35:5=         15:3=       45:5=     18:3=

24 / 11

Quinta

(para entregar na sexta)

Cante a música “A CASA” e pense como pode existir uma casa como essa? Escreva suas ideias da maneira que desejar ( lista, poema, conto de fadas…):
25/11

Sexta

NÃO TEM PARA CASA!

Preparação para a Feira de Cultura que acontecerá

no dia 26 de novembro.

             Escola Municipal Sonia Braga da Cruz Ribeiro Silva

                   Para Casa Semanal

TODAS AS ATIVIDADES DEVEM SER COPIADAS NO CADERNO:
Nome:

Data

Dia da Semana

Atividade

21 / 11

Segunda

(para entregar na terça)

Copie no caderno e resolva:

 

1 ) Lúcia ganhou um pacote com 24 bombons e compartilhou com suas colegas. Elas são 6 garotas. Quantos bombons cada uma saboreou?

2 ) Marcos organiza suas cartinhas em caixinhas. Em cada uma cabem 15 cartas. Ele tem 3 caixinhas completas e 1 com 10. Quantas cartinhas Marcos tem ao todo?
22 / 11

Terça

(para entregar na quarta)

“A HISTÓRIA POR TRÁS DA HISTÓRIA”: Escreva suas ideias sobre os motivos que levaram o escritor Vinícius de Moraes a escrever o poema “O gato”. Não esqueça do parágrafo, pontuação e organização:
23’/11

Quarta

(para entregar na quinta)

Copie no caderno e calcule, se precisar desenhe para compreender melhor a operação:

5×3=           5×7=        5×9=          3×7=        3×6=                          3×10=

30:3=         21:3=      35:5=         15:3=       45:5=     18:3=

24 / 11

Quinta

(para entregar na sexta)

Cante a música “A CASA” e pense como pode existir uma casa como essa? Escreva suas ideias da maneira que desejar ( lista, poema, conto de fadas…):
25/11

Sexta

NÃO TEM PARA CASA!

Preparação para a Feira de Cultura que acontecerá

no dia 26 de novembro.

 

Sexta-feira

 

Projeto “Conhecendo o Vinícius”: Ensaio da coreografia “Garota de Ipanema

Matemática

  • Avaliação pelos alunos sobre as metas estabelecidas pela e para turma no início do ano, o que foi alcançado e o que ainda há para alcançar, conversamos sobre a utilização destas informações para organizarmo o trabalho nestes dias letivos restantes;
  • Todos falaram pelo menos um conteúdo que aprendeu bem e um que ainda precisa se dedicar mais;
  • Tabulação dos dados coletados, construção dos gráficos para melhor visualização;
  • Os gráficos foram apresentados às famílias na reunião no mesmo dia.

 

 

Matemática de Terror

  • Encontrei uma lista de problemas no BLOG da professora Janaína Spolidório, já citei em um plano de aula anterior, que usamos em doses homeopáticas, as crianças gostaram tanto, que os utilizamos 1 ou 2 no máximo ao final das atividades. Elas aguardam ansiosas e é uma festa!

 

 

 

 

Reunião com as famílias para apresentação das avaliações, do balanço avaliativo das próprias crianças, entrega dos boletins e combinados para os últimos dias letivos.

PRODUÇÃO COLETIVA DE TEXTO DOS GRUPOS DE APOIO

(estudantes de 10 a 12 anos)

Após responder às questões, primeiro num bate-papo e depois registrando de maneira bem à vontade, que levantaram ideias sobre os motivos do texto “A CASA” do livro A Arca de Noé, os grupinhos das aulas de apoio (intervenção para leitura e escrita) produziram textos da história por trás da poesia.

 

GRUPO 3

 

O barraco do Vinícius

 

Era uma casa de um mendigo, feita de nada, feita de vento. Juntava papéis, vidro, madeira, mas não tinha nada.

Feita de maneira estranha, sua luz era o sol durante o dia, o poste e os faróis à noite.

Um amigo o encontrou, levou-o para casao , acolheu com muito esmero, na rua que não era dos Bobos, nota dez!

 

 

GRUPO  2

Casa do pensamento

     A casa invisível, dos meninos, do mendigo, de ninguém… Localizada num terreno ao vento, feita de nenhum jeito.

Não era uma casa, não tinha nada, nem parede, chão ou teto, somente o pensamento.

Ainda não existia porque era um sonho. Será que um dia esta casa existirá?

Sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Relato de experiência da aula com pequenos grupos

Aula de Apoio /  Intervenção para leitura e escrita

PREPARAÇÃO  PARA PRODUÇÃO  DE TEXTO COLETIVO

Proposta

Registrar em , no mínimo 10 linhas, as ideias acerca de:

  • Que casa é essa?
  • De quem ou quê é esta casa?
  • Já que o texto fala que ela não tem nada em comum com as nossas, o que ela tem?
  • Como e de quê é feita?

Produção de Texto Coletiva – Atividade rica de possibilidades – A história por trás da história

Em continuidade à exploração do texto da cantiga “O sapo não lava o pé”, quando as crianças observaram características da escrita: acentuação, marca de nasalidade, aumentativo e diminutivo, foram levantadas questões sobre os motivos e desculpas do sapo em relação a lavar o pé e seu chulé.
Após o registro das ideias das crianças, registradas no plano de aula constante no link https://professorakelley.wordpress.com/2011/11/09/10-11-2011/, produzimos o texto apresentado abaixo. A produção coletiva de texto colabora para a observação, verificação e experimentação das regras, usos, estruturas, organização e possibilidades da escrita.

O chulé do sapo

Federico é um sapo diferente, não gosta de tomar banho. Ele mora com sua família lá na lagoa, mas nem molha o pé.
Mil desculpas ele usa para não se molhar: a água está gelada, preguiça, cansaço e até admitiu que gosta do cheirinho de chulé.
A mamãe sapo fica desesperada, como pode um sapo não gostar de água? Federico só molha o pé se estiver calçado, assim ele consegue piorar a situação do seu chulé.
Certo dia, Federico escorregou e caiu na lagoa, a mamãe sapo aproveitou e fez uma faxina no filho. Ele ficou tão bonito e cheiroso que aprendeu como é bom tomar banho!
Amiga professora,
Organizei este trabalho com a participação das crianças todo o tempo, eles escolheram o nome, escolheram os textos do livro “A arca de Noé”, que exploraríamos,  pesquisaram sonetos para colarmos no painel, sugeriram que assistíssemos o filme Rio (porque tem a música Garota de Ipanema), deram sugestões até sobre o que poderíamos avançar no estudo da escrita, por fim pediram que ensaiássemos uma coreografia com a música “Garota de Ipanema” para apresentação na Feira de Cultura.
Eu organizei as atividades para cada texto, sempre pensando nas várias disciplinas, buscando informações sobre cada animal e abordando, através destas informações os aspectos relativos às Ciências, à Geografia, à História e à Matemática, nesta última, algumas vezes criei situações-problema, mas tentei utilizar os dados presentes nos textos informativos e científicos. Levei para sala a versão musical das poesias, incentivei-os a criar coreografias, ou apenas escutávamos, as vezes cantávamos. Esta experiência foi inspirada pelo trabalho anterior com a Metodologia C.L.E. (Construção de Linguagens Essenciais), organizada pela professora Salomé Coelho, que orientou seu desenvolvimento, quando era a diretora da escola onde trabalho.
Acredito que você pode caminhar da mesma forma com seus pequenos, apresente o Vinícius, conte um pouco de sua história, leve o livro, leia algumas poesias, incentive-os a construir um plano de trabalho, pergunte suas expectativas, peça-os para falarem de suas dificuldades ( se sentirem confortáveis), isso te ajudará muito na construção das atividades.
Registre tudo o que falarem, organize as ideias com eles, pense num tempo de duração, organize as etapas junto com as crianças. A participação nesta organização vai responsabilizá-las pelo desenvolvimento, o envolvimento será maior, você será uma orientadora, que trabalha junto e não uma chefe que dá as ordens, as propostas de trabalho serão mais significativas, uma vez que envolverá o desejo de fazer aquilo que ajudou a planejar e construir.
Tudo o que te auxiliar no BLOG, copie à vontade, modifique e conte comigo para trocar ideias!
Desejo-te um feliz trabalho!!!

MANHÃ DE QUINTA-FEIRA

Iniciei o atendimento aos pequenos grupos, no turno da manhã, substituindo a professora Joanna, na mesma escola onde trabalho no turno da tarde.

Na sala de apoio, sentados todos numa mesa redonda, iniciamos o primeiro trabalho. Como já desenvolvo junto à turma do turno da tarde o Projeto “Conhecendo o Vinícius”, propus aos grupos que também o conhecêssemos.

Intervenção no grupo 2

  • Responsabilização: Bate-papo sobre suas expectativas, dificuldades de cada um, se concordam com a necessidade  de avançar e superá-las e, principalmente, se assumem o compromisso de cumprir integralmente o tempo destinado à aula de apoio/intervenção.
  • Quem é Vinícius de Moraes?
  • Não souberam, um deles disse nunca ter ouvido falar, citei as poesias As borboletas, O pato, mas mesmo assim continuaram estranhando;
  • Li algumas poesias do livro “A arca de Noé”: São Francisco, O Relógio, O Vento,A Casa,  O Elefantinho. Apenas “A Casa” foi reconhecida, pois a ouvem num programa de televisão;
  • Pedi que cada um escolhesse o texto que mais gostou: São Francisco, O Relógio e A Casa, propus trabalharmos com os três textos e que começássemos pelo poema “A Casa”, já que faz parte de seus conhecimentos prévios;
Registro do texto “A Casa” nos cadernos
  • Eu também fiz o registro no caderno de planejamento, sentada com eles na mesa redonda, para que pudessem “espiar” se quisessem, pude “espiá-los”, também, assim fiquei atenta a escrita e perguntava ao grupo como se escrevia cada sílaba de determinadas palavras (onde percebia dificuldades), assim retomavam, conferiam, corrigiam;
  • Durante o registro fui comentando sobre a estrutura deste texto: os versos, o alinhamento, o uso da letra maiúscula, a ortografia;
  • Finalizado o registro, os três trocaram de cadernos para ler o trabalho do colega e apontar as palavras com erros, terminada esta etapa, devolveram os cadernos aos donos, que fizeram as devidas correções. Durante ambas as etapas, consultaram meu registro ou o texto no livro.
Término deste tempo
  • Expressei minha alegria pelo envolvimento de todos e que no próximo momento esperava contar com o grupo feliz e disposto a aprender mais, recebi sorrisos de volta.


Quinta-feira


Matemática

    • Multiplicações simples com e sem situações-problema.

Português

  •  “O sapo não lava o pé” para produção de texto “A história por trás da história”: na
    aula anterior  foram  levantadas duas questões para que as crianças apresentassem suas ideias, que foram registradas no quadro para orientar a produção coletiva do texto;

1 ) Por que o sapo não quer lavar o pé?

2 ) Se o sapo mora na lagoa, como ele consegue não lavar o pé e ter chulé?

Ideias das crianças:

ELE NÃO SABE.

ELE TEM PREGUIÇA.

ELE NÃO GOSTA DE TOMAR BANHO.

ELE FICA O DIA TODO BRINCANDO, ANOITECE E ELE SE ESQUECE DO BANHO.

ELE GOSTA DO CHEIRINHO DO CHULÉ.
O SAPO USA SAPATO O TEMPO TODO, ENTÃO QUANDO ENTRA NA LAGOA MOLHA O PÉ E MANTÉM O CHULÉ.

  • Através da produção de texto coletiva serão trabalhados: estrutura textual (título, sequência, parágrafo, etc.), ortografia e suas regras, pronomes, substantivos, pontuação, entre outros.

Geografia e História/ Projeto “Conhecendo o Vinícius” – As abelhas


Artes com a professora Virgínia


Linguagem / Projeto “Conhecendo o Vinícius”

  • Ensaio da coreografia da música “Garota de Ipanema”.


Quarta-feira

Artes com a professora Virgínia

Matemática

  • Livro, página 134, questões 7, 8 e 9 / adições com reagrupamento.

Português

  • Retomada do texto “O sapo não lava o pé” para produção de texto “A história por trás da história”;
  • Através da produção de texto coletiva serão trabalhados: estrutura textual, ortografia e suas regras, pronomes, substantivos, pontuação, entre outros.


Ciências / Projeto “Conhecendo o Vinícius” – As abelhas


Texto sobre as características das abelhas.

Linguagem / Projeto “Conhecendo o Vinícius”

  • Ensaio da coreografia da música “Garota de Ipanema”.

Terça-feira

Matemática – Livro

  • Problemas / operações de adição com reagrupamento.

Para Casa
  • Correção individual.

Geografia e História

  • Texto sobre Zumbi dos Palmares;
  • Mais máscaras africanas.

Materiais preparados pela professora Magdalena Pugliese.

Português

  • Registro da cantiga ” O sapo não lava o pé”;
  • Identificação do acento agudo e da marca de nasalidade til;
  • Escrita de palavras no diminutivo e aumentativo.

Projeto ” Conhecendo o Vinícius”

  • Construção e ensaio da coreografia da música “Garota de Ipanema”, com a participação de todas as crianças da turma.

A FOCA (acesse o PDF completo AQUI)

 

 

 

 

 

Inspirada pela Professora Janaína Spolidorio, que sempre apresenta a planilha de Lição de Casa Mensal, organizei uma semanal, anteriormente já havia feito assim com as atividades para casa no livro de matemática, como deu certo, passemos às atividades variadas.

PARA CASA SEMANAL

PLANO DE AULA 07 11 2011

Segunda -feira

História

  • Projeto Consciência Ética
  • História sobre as máscaras africanas;
  • Continuação do trabalho com o livro “Respeitando as diferenças” (Organizado pela professora Magdalena Pugliese).

Português

  • Avaliação da escrita com palavras de um mesmo grupo semântico e na sequência: polissílaba, trissílaba, dissílaba, monossílaba e uma frase, na qual constará uma das palavras listadas. Exemplo: PIRULITO, COCADA, QUINDIM, MEL, Gema de ovo é um ingrediente do quindim.

Matemática

  • Livro didático, página 127 (questões 7 e 8).

Educação Física / professora Michele

Sexta-feira

Educação física com a professora Michele

Carta para o Papai Noel

  •  Crianças que se ausentaram no dia anterior escrevem suas cartinhas;
  • Pedir a alguma das que fizeram a carta com maior facilidade que redija para o coleguinha com necessidades especiais, que ainda não escreve, nem desenha com clareza. Ele já disse que quer ganhar uma bicicleta ou um skate.

Matemática / Livro didático

  • Compreensão do sistema monetário, relação entre quantia em dinheiro e preço de produtos para possível compra;
  • Adição de centenas numa determinada situação problema.

História: PROJETO CONSCIÊNCIA ÉTICA

  • Início do trabalho com o livrinho individual “Respeitando as diferenças”, preenchimento e pintura da capa, após bate-papo sobre as possíveis difer
    enças entre as pessoas e o repeito que TODAS devem ter por todas.

Português

Quinta-feira

Hino da Escola

    • Ensaio para gravação do Hino da escola, com a professora Idelze aoviolão;
    • Gravação com celular do Hino da Escola Municipal Sonia Braga da Cruz Ribeiro Silva;
  • Vozes: crianças do 3°ano, sala 7, professora Kelley;
  • Violão: Professora Idelze;
  • Letra do Hino (2006): Professoras Kelley e     Raquel Hermont.

Acesse o arquivo MP3 aqui!

Carta para o Papai Noel dos Correios

  • Produção dos rascunhos nos cadernos, observando as características que compõem o texto CARTA: local e data, saudação, destinatário, assunto, despedida e identificação;
  • Correção coletiva, aplicação do Projeto Colaboradores, as crianças com maior facilidade e mais conhecimentos acerca da escrita terminam, geralmente, primeiro, por isso corrigem junto com a professora e depois escolhem colegas, que ainda não apresentam a mesma facilidade, para ajudar;
  • Confecção dos papéis para registro da carta e dos envelopes;
  • Registro final das cartas, após as várias correções;
  • Preenchimento adequado dos envelopes, explorando as informações e localização das mesmas, significado de REMETENTE e DESTINATÁRIO, formato de registro do endereçamento.

Adição sem reagrupamento.

PARA CASA DE MATEMÁTICA ADIÇÕES SEM REAGRUPAMENTO (ACESSE O pdf)

  •  Cultura de paz não é cultura da “pasmaceira”, mas da justiça, do respeito, da humanidade.
  •  Pratique a não-violência e a mediação em sua casa, com sua família, certamente influenciará suas ações comunitárias. Todos ganham!
  • A tecnologia faz com que, pela primeira vez na história, os mais jovens saibam mais e ensinem aos mais velhos.
  •  Seus pensamentos interferirão em suas ações. Pense positivo, queira o bem para você e para os outros, suas ações acompanharão seus desejos!
  •  Não seja solitário, seja solidário. Transforme sua vida positivamente e o efeito onda transformará as vidas ao seu redor!
  • Pacificar não é submeter, aceitar ou simplesmente obedecer, é uma ação que começa no diálogo e resulta na ação multiplicadora!
  • “NÃO-VIOLÊNCIA” eu posso, você pode, nós podemos, todos agradecerão!
Tags:

Escola Municipal Sonia Braga da Cruz Ribeiro Silva

Reunião com as famílias – Novembro de 2011

Como se educa sem violência

 Dr. Arun Gandhi

O Dr. Arun Gandhi, neto de Mahatma Gandhi e fundador do MK Gandhi Institute, contou a seguinte história sobre a vida sem violência, na forma da habilidade de seus pais, em uma palestra proferida em junho de 2002 na Universidade de Porto Rico.

“Eu tinha 16 anos e vivia com meus pais, na instituição que meu avô havia fundado, e que ficava a 18 milhas da cidade de Durban, na África do Sul. Vivíamos no interior, em meio aos canaviais, e não tínhamos vizinhos, por isso minhas irmãs e eu sempre ficávamos entusiasmados com a possibilidade de ir até a cidade para visitar os amigos ou ir ao cinema.

Certo dia meu pai pediu-me que o levasse até a cidade, onde participaria de uma conferência durante o dia todo. Eu fiquei radiante com esta oportunidade. Como íamos até a cidade, minha mãe me deu uma lista de coisas que precisava do supermercado e, como passaríamos o dia todo, meu pai me pediu que tratasse de alguns assuntos pendentes, como levar o carro à oficina.

Quando me despedi de meu pai ele me disse: “Nos vemos aqui, às 17 horas, e voltaremos para casa juntos”.

Depois de cumprir todas as tarefas, fui até o cinema mais próximo. Distraí-me tanto com o filme (um filme duplo de John Wayne) que esqueci da hora. Quando me dei conta eram 17h30. Corri até a oficina, peguei o carro e apressei-me a buscar meu pai. Eram quase 6 horas.

Ele me perguntou ansioso: “Porque chegou tão tarde?”

Eu me sentia mal pelo ocorrido, e não tive coragem de dizer que estava vendo um filme de John Wayne. Então, lhe disse que o carro não ficara pronto, e que tivera que esperar. O que eu não sabia era que ele já havia telefonado para a oficina. Ao perceber que eu estava mentindo, disse-me: “Algo não está certo no modo como o tenho criado, porque você não teve a coragem de me dizer a verdade. Vou refletir sobre o que fiz de errado a você. Caminharei as 18 milhas até nossa casa para pensar sobre isso”.

Assim, vestido em suas melhores roupas e calçando sapatos elegantes, começou a caminhar para casa pela estrada de terra sem iluminação. Não pude deixá-lo sozinho…guiei por 5 horas e meia atrás dele…vendo meu pai sofrer por causa de uma mentira estúpida que eu havia dito.

Decidi ali mesmo que nunca mais mentiria.

Muitas vezes me lembro deste episódio e penso: “Se ele tivesse me castigado da maneira como nós castigamos nossos filhos, será que teria aprendido a lição?” Não, não creio. Teria sofrido o castigo e continuaria fazendo o mesmo. Mas esta ação não-violenta foi tão forte que ficou impressa na memória como se fosse ontem.

Este é o poder da vida sem violência”.

Fonte: http://www.comitepaz.org.br/como_educa.htm

Ideologia das Ilusões

Tonia / 1993

No Brasil predomina a ideologia dos que têm o poder “aquisitivo”; o capitalismo a todo vapor. As classes sem poder são massacradas, discriminadas e obrigadas a aceitar as determinações dos detentores do poder.

É uma ideologia abstrata, que não tem um objetivo lógico (uma vez que não produz o bem viver), mas visa satisfazer a sociedade dominante e encher de ilusões a classe pobre, que sempre tem a ilusão de que um dia vai melhorar. Doce ilusão de todos nós…

A ideologia dos dominantes usa de todos os meios para manipular cada vez mais os desprotegidos do dinheiro, com falsos  anúncios, com promessas que jamais serão cumpridas, com programas que fogem da nossa realidade, com aumentos irreais do salário  mínimo, que nunca ultrapassa a inflação que, por sua vez, o ultrapassa  em mais de 300%.

Na escola, desde o início são mostradas falsas imagens dos vultos de nossa história, que sempre aparecem como perfeitos cidadãos, líderes de confiança e honestidade que, sempre e só, fizeram coisas maravilhosas para o nosso país. Então devemos acreditar piamente e respeitá-los.

A classe dominante que nos manipula, não permite, nem nos dá condições de usufruir do que nos é de direito: o ensino de 2º grau (médio) e muito menos de 3º grau (superior). Fazem-nos acreditar, as vezes inconscientemente, que somos os verdadeiros culpados por tudo de errado, submetendo-nos a aceitar as condições já existente.

Sendo a maioria, a classe inconsciente, continuará condenada a ser manipulada pelas  mãos do poder, guiada pela falsa IDEOLOGIA.

64 maneiras de se praticar a não-violência

     Aprendemos a praticar a não-violência pouco a pouco, uma escolha por vez, e um dia de cada vez. Através de nossas escolhas e ações não-violentas diárias o espírito de coragem e nobreza dentro de cada um de nós se expressa nas habilidades, sabedoria e caráter de um ser humano não-violento. Assim é que cada um de nós, de nossa maneira particular, leva o mundo na direção da paz.

 Pessoal

     A não-violência começa por aprendermos como ser menos violentos e mais compassivos com nós mesmos. Aprendemos criando coragem para falar e agir com respeito, honrando e reverenciando nosso próprio ser.

     1 – Coragem
     Eleonor Roosevelt nos incitou: “Vocês devem fazer as coisas que pensam que não conseguem fazer. “Praticar estas 64 maneiras será um desafio a fazer coisas que você pensa não ser capaz de fazer. Hoje acenda uma vela e aceite a coragem de praticar 64 maneiras de viver de forma não-violenta.

     2 – Sorriso
     O mestre Budista Thich Nhat Hanh disse “Se em nossa vida diária pudermos sorrir, não apenas nós mesmos, mas todos ganharão com isso. Este é o tipo mais básico de trabalho pela Paz” Hoje partilhe um sorriso com ao menos três pessoas, sabendo que seu sorriso contribui para a paz.

     3 – Apreciação
     Louise Hay diz “Aprecie-se o mais que puder… O amor em nossa vida começa conosco mesmo… Amar a si mesmo ajudará a curar este planeta”. Escreva dez coisas que você aprecia em você mesmo. Leia em voz alta o que escreveu.

     4 – Importar-se
     Segundo Peter McWilliams, “Não violência em relação a si mesmo é importar-se consigo mesmo. Amor próprio é o coroamento do sentido de valor próprio… E o que os gregos chamam de reverência pelo ser”. Não basta falar, é preciso agir. Faça uma lista de pelo menos cinco maneiras pelas quais você poderia cuidar melhor de si mesmo. Ponha pelo menos uma em prática hoje mesmo.

     5 – Acreditar
     O escritor Wayne Dyer escreve sobre o impacto que nossas crenças exercem sobre a vida diária. Hoje acredite que você possui todos os recursos necessários para levar a sua vida na direção da paz. Esteja atento às demonstrações simples de respostas pacíficas que você receber.

     6 – Simplicidade
     A simplicidade é um convite à pacificação. Pense em três maneiras de simplificar a sua vida e ponha pelo menos uma em prática hoje mesmo.

     7 – Educação
     O conhecimento fortalece sua convicção e aprofunda sua sabedoria e compreensão. Aprenda sobre o poder da não violência estudando a respeito. Leia artigos, revistas ou um livro; veja um filme ou vídeo sobre assuntos relacionados à não não-violência. Aprenda sobre direitos humanos, diversidade, ecologia, história, política, perdão, espiritualidade, paz, biografias de heróis e muito mais.

     8 – Cura
     A escritora, poeta, ativista e professora Maya Angelou transformou uma experiência traumática de infância num catalisador para criatividade e realização. Hoje escolha um evento traumático de sua vida e descubra a “dádiva” que isso lhe proporcionou. Partilhe esse dom com outras pessoas no dia de hoje.

     9 – Sonho
     Martin Luther King tinha um grande sonho. Qual é o seu sonho de paz? Escreva. O que você pode fazer para honrar esse sonho? Faça isso hoje.

     10 – Fé
     Quando César Cha vez organizava trabalhadores rurais, ele os desafiava a dizer “Si, se puede” (Sim, é possível) quando não sabiam como vencer um determinado obstáculo. Hoje diga “Sim, é possível ; mesmo que você não saiba como chegar a seu objetivo. Tenha fé e diga: Sim, é possível, até que encontre o carrinho.

     11 – Contemplação
     Por pelo menos 3 minutos relaxe, respire, e deixe sua mente se alimentar de tudo que é bom e belo. A escritura sagrada diz. “Como o homem pensa em seu coração, assim ele será”.

     12 – Terra
     Gandhi disse “Esquecer como se cava o chão e cuida da terra é esquecer-se de nos mesmos” E Black Elk disse “Alguma pequena raiz da árvore sagrada ainda vive. Alimente-a, que ela possa vicejar e florescer e carregar-se de pássaros canoros”. Hoje plante uma semente na terra ou cuide de uma planta.

     13 – Criatividade
     A pior coisa que se pode fazer a uma alma é suprimir seu desejo natural de criar. Identifique ao menos 5 maneiras pelas quais você expressa sua criatividade todos os dias. Hoje deixe que algo imprevisível e alegre se expresse através de você.

     14 – Humildade
     Errar é parte integrante do aprendizado e do crescimento. Hoje, admita abertamente ao menos um erro que cometeu, e reflita alguns minutos sobre o que aprendeu.

     15 – Reverência
     O ambientalista John Muir disse: “Todos precisamos da beleza, assim como do pão, lugares onde brincar e onde rezar, onde a natureza pode nos curar, alegrar e fortalecer o corpo e a alma” Hoje dê uma volta lá fora e perceba a beleza em volta, acima e abaixo de você.

     16 – Gratidão
Em seu programa, Oprah Winfrey freqüentemente promove a prática diária da gratidão. Comece o dia listando cinco coisas pelas quais você é grato, e termine o dia partilhando com alguém as coisas boas que aconteceram hoje.

     17 – Integridade
     Faça o que é correto. Spike Lee usou estas palavras para dar título a um filme. Quando tiver que escolher hoje, ouça a voz da consciência. Você sabe o que é certo. Faça.

     18 – Liberdade
     A ativista dos direitos civis Diane Nash disse: “A liberdade, por definição, é a gente perceber que somos nosso próprio líder”: Assuma um papel de liderança em sua própria vida hoje. Encontre uma forma de expressar melhor quem você realmente é.

     19 – Aceitação
     “Ressentimento, medo, crítica e culpa causam mais problemas que qualquer outra coisa”, diz Louise Hay, Hoje, torne a decisão de não se julgar (nem aparência, nem capacidade, nem expressão). Veja como você é único, amoroso, capaz e brilhante! Aceite-se exatamente como é.

     20 – Perdão
     Quando você se julga, tende a acreditar que você d aquilo que fez ou deixou de fazer; o que tem ou deixa de ter. Sabendo que você é algo maior que tudo isso, perdoe-se por esquecer o bem que existe dentro de você.

     21. Inspiração
     Pense em ao menos duas pessoas que para você são um exemplo de não-violência. O que você admira nelas? Pratique estes comportamentos hoje para que outras pessoas possam receber esta inspiração.

     22 – Missão
     “Minha vida é minha mensagem” disse Gandhi. Escreva a mensagem que você quer para sua vida. Pense em ao menos uma forma de demonstrar, através da ação, que você luta peles seus princípios. Faça uma ação hoje.

     23. Oração
“A oração vinda do coração pode conseguir o que nada mais no mundo consegue” disse Gandhi. Comece e termine o dia com uma oração pela paz. Que a paz comece por você.

Interpessoal

     Para criar um mundo pacífico, devemos aprender a praticar a não-violência uns com os outros nas interações do dia-a-dia.

     24 – Harmonia
     Hoje escolha não se envolver em nenhum tipo de fofoca. Isso contribui para a harmonia. Hoje decida ver o bem nos outros em vez de procurar os defeitos.

     25 – Amizade
     Para o humorista Will Rogers as pessoas desconhecidas eram simplesmente amigos que ele ainda não conhecera. Veja aqueles que você encontrar hoje sob esta perspectiva. Tenha mais um conhecido.

     26 – Respeito
     Gandhi ensinava que “A linguagem é um reflexo exato do caráter e formação daquele que fala” Hoje respeite a você mesmo e aos outros escolhendo não usar linguagem grosseira ou ofensiva.

     27 – Generosidade
     Madre Teresa dizia que “Há uma pobreza escondida que é mais generalizada que a falta de dinheiro. É a pobreza do coração” Encontre três maneiras de dispor generosamente do seu tempo, atenção e recursos em favor dos outros.

     28 – Ouvir
     Hoje pare de fazer o que está fazendo e tire cinco minutos para ouvir aos sentimentos atrás das palavras daquele que está falando com você. Esteja totalmente presente no diálogo e interesse-se pelo que a pessoa está dizendo.

     29 – Perdoar
     Perdoar não é relevar um comportamento ofensivo. Quando percebemos que há algo dentro de nós mais importante que esta ofensa, ficamos livres para esquecer o passado e avançar em nossa vida. Hoje escreva uma carta para perdoar alguém. Não é necessário colocar no correio.

     30 – Fazer as pazes
Faça as pazes hoje. Peça desculpas a alguém que você tenha magoado e seja sincero em suas intenções.

     31 – Elogio
     Sentir-se apreciado ajuda as pessoas a crescer. Elogie ao menos três pessoas hoje pelas suas qualidades pessoais, conquistas, ou ajuda solícita.

     32 – Paciência
     Segundo César Chavez “Não-violência não é inação… É trabalho duro… É a paciência para vencer”: Quando seus planos parecem ter sido adiados, escolha ser paciente identificando ao menos três modos de usar construtivamente esse tempo para fomentar seus objetivos.

     33 – Reconhecimento
     Diga hoje a alguém o quanto ele ou ela são importantes para você. Que este seja um dia em que as pessoas não passam desapercebidas.

     34 – Amor
     Gandhi escreveu: “A não-violência se baseia no pressuposto de que a natureza humana… invariavelmente reage aos avanços do amor”. Hoje, concentre-se naquilo que você mais aprecia na pessoa que você menos gosta.

     35 – Compreensão
     Thich Nhat Hanh diz: “Quando você compreende, não há como não amar… Pratique olhar para todos os seres vivos com um olhar compassivo”. Mande um pensamento silencioso de amor para dez pessoas hoje. Partilhe sua experiência com alguém.

     36 – Atenção
     Se simplesmente agirmos em todos os momentos com serenidade e atenção, cada minuto da vida é uma obra de arte. Perceba a motivação por trás de seus atos, a intenção por trás de suas palavras, e as necessidades e experiências de outras pessoas. Fazendo isso você estará tornando a vida mais bela para as outras pessoas.

     37 – Gentileza
     Quando estiver dirigindo hoje, diminua a velocidade e dê passagem a alguém. Pare e deixe os pedestres passarem.

     38 – Bondade
     Todos os dias ouvimos falar de atos de violência sem sentido ou explicação. Participe da contra revolução de bondade iniciada por Anne Herbert. Faça três gestos de bondade hoje.

     39 – Diálogo
     Marianne Williamson descreve uma sociedade saudável como aquela em que “As pessoas que discordam podem faze-lo com honra e respeito às opiniões alheias, conscientes da sua condição humana partilhada”. Em Desiderata, Max Ehrmann diz que “Fale sua verdade serena e claramente e ousa os outros”: Hoje fale o que pensa, mas não entre no espírito da argumentação.

     40 – Unidade
     As diferenças emprestam variedade à vida, e de qualquer modo, elas estão apenas na superfície. Hoje procure três formas de ver além das diferenças externas em opiniões, aparências e metas. Encontre o ponto de encontro na unidade subjacente que existe na diversidade.

     41 – Abertura
     Diz um provérbio Turco: “Aquele que constrói uma cerca em volta de si, deixa mais pira fora do que para dentro”: Hoje, esteja aberto para entender idéias e pessoas às quais você se opôs no passado.

     42 – Consciência
     Em situações de conflito a consciência pessoal nos permite assumir responsabilidade pela nossa contribuição para o conflito. Hoje assuma responsabilidade pelo modo como você contribui para o conflito e faça uma escolha diferente, que possa levar a uma solução pacífica.

     43 – Singularidade
     Dale Carnegie diz que a maior necessidade das pessoas é de amor e aprovação. Elogie, cumprimente e honre a singularidade de ao menos cinco pessoas hoje. Note o impacto positivo que isto causa em virtude da valorização da individualidade de cada um.

     44 – Cooperação
     Quando trabalhamos juntos, somos mais fortes do que quando trabalhamos sozinhos. Hoje encontre um modo eficaz de cooperar mais com as pessoas da sua família ou trabalho, escola ou comunidade. Faça algo.

     45 – Auto-domínio
César Chavez, um organizador de recursos humanos, ensina: “Se você emprega a violência, precisa vender parte de si mesmo para essa violência. Você não é mais mestre do seu próprio esforço” Respire fundo, silenciosamente, contando regressivamente de dez a zero para acalmar-se e esfriar antes de falar ou agir com impaciência ou raiva. Faça isto ao menos uma vez hoje.

     46 – Compaixão
Madre Teresa nos pede: “Encontre alguém que pensa que está sozinho e faça-o saber que não está” Hoje, faça o que Madre Teresa pede.

 Comunidade

     A não-violência nos desafia a defender a verdade agindo deforma a honrar a dignidade e o valor de cada ser humano.

     47 – Desarmamento
     Hoje converse com alguém sobre como seria o mundo se não existissem armas nem necessidade delas. Imagine um mundo assim.

     48 – Ecologia
     Valorize a terra conservando os recursos naturais e evitando comprar produtos que destruam as florestas ou as forças de trabalho. Pratique a reciclagem hoje, usando ao menos um produto reciclado ou reciclando um produto.

     49 – Homenagem
     Albert Einstein disse que: “Há apenas duas maneiras de viver sua vida. Uma é viver como se nada fosse um milagre” A outra é viver como se tudo fosse milagre. Hoje, antes de cada refeição, pare para homenagear todas as mãos que trouxeram esse alimento a você e abençoe a terra por sua fertilidade.

     50 – Escolha
     Esteja atento hoje a todas as piadas e comentários que mostram desrespeito em relação a grupos étnicos, mulheres ou homens, classes de pessoas, grupos religiosos, gays ou lésbicas. Tenha consideração pela dignidade de cada pessoa, e escolha não participar de conversas desrespeitosas.

     51 – Advogar
     “Quando alguém resiste à violência”, diz Thich Nhat Hanh, “libera-se uma força de mudança. Cada ação para a paz exige que alguém mostre a coragem de desafiar a violência e inspirar o amor”. Hoje, seja um aliado. Sem culpar ou julgar os outros, defenda aqueles que estão sendo desrespeitados.

     52 – Igualdade
     Você já notou os grupos de pessoas sub-representados em suas atividades e estilo de vida? Encontre um modo de estabelecer laços com alguém pertencente a uma dessas minorias hoje.

     53 – Ação
     “Cada um de nós pode trabalhar para mudar uma pequena parte dos acontecimentos, e a soma total de todas essas ações ficará escrita na história desta geração; disse Robert Kennedy. Hoje encontre um modo de fazer uma pequena mudança que contribua para o bem-estar na sua casa, escola, local de trabalho ou comunidade.

     54 – Doação
     “Pratique a generosidade partilhando tempo, energia e recursos materiais com aqueles que necessitam”. Limpe seu armário, vasculhe as gavetas, a garagem. Há coisas que você não usa e que poderiam ser de valia para outras pessoas? Hoje doe algo que você não usa mais.

     55 – Responsabilidade
     A qualidade de sua comunidade começa por você. Assuma responsabilidade pela qualidade de sua comunidade onde quer que você esteja. Recolha o lixo, mesmo que não seja seu, seja em casa, no escritório ou na rua. Mesmo um pedacinho de papel a menos já é uma ajuda.

     56 – Auto – suficiência
     As pessoas precisam da dignidade do trabalho e da oportunidade de prover suas necessidades e de suas famílias. Auto – suficiência econômica é um dos requisitos para se ter um mundo não-violento. Hoje crie um emprego para alguém ou ajude alguém a encontrar um emprego (exemplos: ajude a escrever um currículo ou preencher um pedido de emprego, ajude a fazer telefonemas, vestir-se apropriadamente, ensaiar a entrevista.)

     57 – Serviço
O Dr. Martin King Jr, disse: “Todos podem ser grandes… porque qualquer um pode servir… Só é preciso um coração cheio de graça e uma alma gerada pelo amor” Torne-se um voluntário e dê ao menos duas horas de serviço por mês para uma organização da sua escolha. Partilhe seu compromisso com ao menos uma pessoa.

     58 – Cidadania
Robert Muller, ex-secretário geral assistente das Nações Unidas nos exorta: “Use cada carta que escreve, cada conversa, cada reunião a que comparece para expressar suas crenças e sonhos” Hoje, mande um e-mail ou escreva para um membro do poder legislativo dizendo o que pensa.

     59 – Intervenção
     O uso de drogas e álcool são ambos causa e conseqüência da violência. Hoje tenha a coragem de intervir de forma respeitosa junto a alguém que está usando álcool ou drogas. Comunicando-se de forma honesta e direta, motive essa pessoa a procurar informação, ajuda e a ficar sóbrio e livre das drogas.

     60 – Testemunho
“Nós somos os laços uns dos outros”, escreve a poetisa Gwendolyn Brooks. Aqueles que praticam a não-violência não podem fechar os olhos à injustiça e à crueldade. Estamos aqui para sermos testemunhas da justiça e da compaixão. Hoje esteja disposto a defender a Verdade através de sua presença, suas palavra ç e suas ações.

     61 – Paz
     Escreve uma criança de 11 anos. “Paz é um pensamento especial ou um amor ou luz ou fagulha especial que todos partilhamos dentro de nós” Thich Nhat Hanh escreveu: “Pratique regar sementes de alegria e paz e não apenas sementes de raiva e violência, e os elementos de guerra em todos nós serão transformados” Hoje, escolha reagir a cada experiência com uma intenção de paz

     62 – Compromisso
     Gaste cinco minutos pensando sobre seu compromisso com a não-violência. Escreva o que significa para você e o que você está disposto a fazer como conseqüência deste seu compromisso. Torne esse compromisso público falando sobre ele com ao menos duas pessoas

     63 – Soltar
     Diz um provérbio sufi: “Quando o coração chora pelo que perdeu, o espírito sorri diante do que encontrou” Hoje olhe para trás e veja o quanto caminhou durante esta jornada de 64 dias Solte o peso do passado, os julgamentos que fez de si e dos outros, e a idéia de que a paz mundial não é possível, reconhecendo que você faz diferença.

     64 – Celebração
     Hoje se alegre com o trabalho que fez Celebre a jornada que você realizou, junto com tantos outros, que acreditam que cada indivíduo pode mover o mundo na direção da paz com suas escolhas e ações não-violentas. “Nunca duvide que um pequeno grupo de cidadãos atentos e empenhados podem mudar o mundo, Na verdade, isto é a única coisa que consegue’. (Margaret Mead).

     A Não-Violência nos desafia a lutar pela verdade agindo de forma a Honrar a dignidade e o valor de cada ser humano.

Fonte: Comitê da Paz

Arte com a professora Virgínia na minha turma

Substitui a professora da sala 8, onde trabalhei atividade de Ciências/ Projeto Conhecendo o Vinícius/ A Corujinha.

História: Conciência Ética

Textos:

  • Refletindo sobre a s diferenças Físicas
  • Povo brasileiro

Português

RECONHECENDO OS DESENHOS DAS LETRAS

 

 

image

1ºano – Escola Municipal Sônia Braga da Cruz Ribeiro Silva -07 / 08/2014

Organizei esta sequência com algumas atividades que pesquisei na internet e outras que criei…

 

 

 

 

 

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

dezembro 2016
D S T Q Q S S
« ago    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
%d blogueiros gostam disto: